quinta-feira, 23 de junho de 2011

História


Reparti meus pensamentos na História, e
Imaginei uma fuga.
Caminhei sem destino, e
Achando que podia te encontrar,
Resolvi te procurar.
Debaixo de um sorriso, minha angústia,
Onde está você?

Eu te procuro, mas,

Como posso te encontrar?
Ruas cheias de pessoas,
Indiferentes ao meu desespero.
Sua ausência, meu vazio.
Tempo curto, telefone ocupado...
Isso me deixa indecisa,
Agora faltam três minutos,
Não sei o que fazer, a História me chama
Eu grito! Eu choro, eu morro... Eu volto para a aula...

Um comentário:

Cristiane Lira disse...

Escrevi este poema no intervalo de uma aula de História, quando estudava Biblioteconomia na UniRio. Com três meses de namoro, qualquer minutinho vago dava vontade de ouvir a voz do amado, mas, pelo visto, não consegui...